Chega o fim de ano e todos nós definimos objetivos para concretizar durante o novo ano. Uns referem-se a eles como desejos, outros realizações. Há quem fale em resoluções e outros em sonhos… uma “vida nova” como diz o ditado. Mas será positivo criar esta expectativa de uma mudança tão significativa? Fará sentido que de um dia para outro tudo mude como por magia? Não será isto uma pequena armadilha da nossa mente que depois nos leva a desistir rapidamente do que planeamos com tanto afinco?

Este ano propomos que faça algo diferente. Em vez de idealizar um “novo eu “ e uma “vida nova”, crie pequenas intenções concretas e objetivas e acrescente um “sempre que possível” em cada uma delas.

Em vez de “vou começar uma dieta” experimente “sempre que possível vou incluir legumes e/ou fruta nas minhas refeições”.

Em vez de “vou inscrever-me no ginásio e cumprir um plano de treino” experimente “sempre que possível vou fazer uma caminhada pela natureza ou fazer uma aula de pilates”

Em vez de “não vou continuar a fazer tudo o que os outros querem” experimente “vou dizer que não aos outros, sempre que precisar de dizer sim a mim mesmo”.

Para além disso, não se centre só na mudança. Foque-se no positivo!

Pense no que gosta em si e proponha-se a potenciar esses traços; pense nas experiências positivas de 2021 repita-as se possível; lembre-se das pessoas da sua vida e seja grato por as ter perto de si!

Cultive o amor, o carinho, a gentileza, a gratidão e a bondade sempre que possível!


3 de Janeiro de 2022