Mente Sábia: o equilíbrio entre a emoção e a razão

Ao longo da vida, vamo-nos deparando com muitas situações que parecem implicar uma escolha entre a emoção ou a razão, como se de um binómio se tratasse, ou seja, ou decidimos agir de acordo com a intuição emocional (irracional), ou então, pelo prisma da lógica (racional). No entanto, podemos integrar a mente emocional e a mente racional, construindo uma terceira mente – a mente sábia. Este conceito de “mente sábia” trata-se, por isso, da capacidade de conseguir conciliar a sabedoria da emoção com a da razão (“acalmar a mente para ver com clareza”), em prol do nosso bem-estar.

Certo é que as emoções são um aspeto central na vida de todos nós e existem para nos ajudarem a resolver problemas e a lidar com as adversidades, não para criar instabilidade e sofrimento. Deste modo, para que as emoções sejam uma mais-valia na nossa vida, e não apenas fonte de sofrimento, temos de alterar a forma como nos relacionamos com elas.

Um bom ponto de partida para aprendermos a conhecer e a regular adequadamente as nossas emoções e, consequentemente, para desenvolvermos a nossa ‘mente sábia’ é através da prática de mindfulness, definido como “uma forma particular de prestar atenção, com propósito, no momento presente, e sem julgamento” (Kabat-Zinn, 1994).

Esta prática pode ser realizada formalmente (com exercícios estruturados de meditação mindfulness) e/ou informalmente (aplicando os seus princípios nas situações quotidianas). Assim, a partir deste estado de observação intencional, não julgador, poderemos cultivar uma atitude de aceitação e, desta forma, passaremos a conhecer melhor as nossas experiências internas e consequentemente, desenvolver a competência de transformar as nossas emoções num aliado.

Considerando, então, que a promoção de uma atitude de aceitação e de validação proporciona mudança (isto é, aprendizagem de formas mais funcionais de lidar com as dificuldades), partilhamos os 7 degraus do equilíbrio emocional:

- Parar;

- Respirar fundo;

- Ter consciência da emoção;

- Aceitar a experiência, permitir a emoção;

- Cuidarmos de nós próprios (autocompaixão);

- Libertar a emoção, deixá-la ir;

- Agir ou não, de acordo com as circunstâncias.

Se tiver curiosidade e interesse em iniciar a prática de  mindfulness, em desenvolver mais a sua “mente sábia” ou se não estiver a conseguir lidar com o seu sofrimento, procure ajuda de um profissional de saúde mental A equipa da Psiquiatria Positiva pode ajudar!

Fonte imagem: vectorstock.com

 

01 de setembro, 2023